Meu Perfil
BRASIL, Nordeste, Mulher, de 26 a 35 anos, Portuguese, Afrikaans, Arte e cultura, Música



Histórico


    Votação
     Dê uma nota para meu blog


    Outros sites
     Carlão Oliveira
     Sind. dos Jornalistas da Bahia
     Yuri Almeida
     Monique Garrido
     Monitorando
     Péricles Diniz
     Jolivaldo Freitas
     Licia Fabio
     Marcela Santos
     Preto Soul Sim
     Jornal Ìrohin
     Mídia Independente
     Revista Raça Brasil
     Gusmão
     Casting Black
     Salvador Negro Amor
     Federação Nacional dos Jornalistas
     Paulo Leandro
     Permanecer Milton Santos
     Jorge Roriz
     Blog Africa
     Observatorio da Imprensa
     Fundação Cultural Palmares
     Falando na Lata
     Ricardo Noblat
     Amelia Gonzalez
     Wellington Nery (Papo Reto)
     Mery Bahia
     Àlvaro Figueiredo
     Africanas&Africanos
     Juahrez Alves
     Programa de Direito Relações Raciais
     Geledés Instituto
     Fatima Reis (pedagoga)
     Mundo Negro
     Ceafro
     Nucleo Omidudu
     Fatima Dannemann
     Oscar Henrique Cardoso
     Albenísio Fonseca
     Radio África
     Suely Temporal
     Simão Pessoa
     Marcinha Moraes
     África - Brasil
     Over Mundo
     Afro Press
     Blog Mídia Etnica
     Waldemiro de Souza DF
     Wando Rep
     Sergio Dias
     Direitos Humanos
     Site de Oxum
     Agencia Afrolatina Americana
     Lourival Matos
     Carlos Suica
     Plug Cultural
     Correio Nagô
     Caetano Veloso
     Diogo Tavares
     Denise Guerra
     Mandala
     Jornal Feira Hoje


     
    Identidade Negra


    se linke no novo: www.identidadeblack.blogspot.com

    Atrasado hein? Estou de novo Ilê:

    www.identidadeblack.blogspot.com

    Se tiver um bom Axé pode entrar

     



    Escrito por Dona Preta às 11h57
    [] [envie esta mensagem] []



    Não é adeus é só um até lá

     

    Chegamos ao fim

     

    Nossa como foi bom essa caminhada aqui no Identidade Negra, um blog que começou em sala de aula e me acompanhou por quase 6 anos. Tantas histórias tem aqui, registros marcantes de momentos bons e maus, fotos de pessoas queridas e passadas em minha vida.

     

    Blog este que me possibilitou desenvolver o ato de escrever e conhecer pessoas importantes que chegaram em momentos certos e marcaram a minha trajetória, blog este que virou referencia para alguns, ajudando em pesquisas, motivação e possibilidade de me conhecerem melhor, afinal é escrevendo que conseguimos ir bem no intimo, esboçar o que não conseguimos falar.

     

    Despeço-me agradecida, com muita saudade, emoção e é claro, orgulho de ser mulher, negra, fiel a nossa cultura e de perpetuar o que nossos antepassados tanto lutaram para conseguir: o direito de ser quem somos, sendo resistente ao tempo acho que até este blog prova isso.

    Continuo minha caminhada no Identidade Black, passa lá e me acompanha. Deixo uma salva de palmas a tod@s que passaram aqui. Axé... 



    Escrito por Dona Preta às 00h10
    [] [envie esta mensagem] []



    O Haiti e a maldição branca

     

    Por Eduardo Galeano*
     
    O Haiti foi o primeiro país onde se aboliu a escravidão. Contudo, as enciclopédias mais conhecidas e quase todos os livros de escola atribuem à Inglaterra essa histórica honra. É verdade que certo dia o império que fora campeão mundial do tráfico negreiro mudou de idéia; mas a abolição britânica ocorreu em 1807, três anos depois da revolução haitiana, e resultou tão pouco convincente que em 1832 a Inglaterra teve de voltar a proibir a escravidão.
     
    Nada tem de novo o menosprezo pelo Haiti. Há dois séculos, sofre desprezo e castigo. Thomas Jefferson, prócer da liberdade e dono de escravos, advertia que o Haiti dava o mau exemplo, e dizia que se deveria “confinar a peste nessa ilha”. Seu país o ouviu. Os Estados Unidos demoraram 60 anos para reconhecer diplomaticamente a mais livre das nações.
     
    Por outro lado, no Brasil chamava-se de haitianismo a desordem e a violência. Os donos dos braços negros se salvaram do haitianismo até 1888. Nesse ano o Brasil aboliu a escravidão. Foi o último país do mundo a fazê-lo. O Haiti voltou a ser um país invisível, até a próxima carnificina. Enquanto esteve nas TVs e nas páginas dos jornais, no início deste ano, os meios de comunicação transmitiram confusão e violência e confirmaram que os haitianos nasceram para fazer bem o mal e para fazer mal o bem.

    Desde a revolução até hoje, o Haiti só foi capaz de oferecer tragédias. Era uma colônia próspera e feliz e agora é a nação mais pobre do hemisfério ocidental. As revoluções, concluíram alguns especialistas, levam ao abismo. E alguns disseram, e outros sugeriram, que a tendência haitiana ao fratricídio provém da selvagem herança da África. O mandato dos ancestrais. A maldição negra, que empurra para o crime e o caos.

    Da maldição branca não se falou.

    A Revolução Francesa havia eliminado a escravidão, mas Napoleão a ressuscitara:

    - Qual foi o regime mais próspero para as colônias?
    - O anterior.
    - Pois, que seja restabelecido.

    E, para substituir a escravidão no Haiti, enviou mais de 50 navios cheios de soldados. Os negros rebelados venceram a França e conquistaram a independência nacional e a libertação dos escravos.

    Em 1804, herdaram uma terra arrasada pelas devastadoras plantações de cana-de-açúcar e um país queimado pela guerra feroz. E herdaram “a dívida francesa”. A França cobrou caro a humilhação imposta a Napoleão Bonaparte. Recém-nascido, o Haiti teve de se comprometer a pagar uma indenização gigantesca, pelo prejuízo causado ao se libertar. Essa expiação do pecado da liberdade lhe custou 150 milhões de francos-ouro.

    O novo país nasceu estrangulado por essa corda presa no pescoço: uma fortuna que atualmente equivaleria a US$ 21,7 bilhões ou a 44 orçamentos totais do Haiti atualmente. Muito mais de um século demorou para pagar a dívida, que os juros multiplicavam. Em 1938, por fim, houve e redenção final.

    Leia mais: http://www.irdeb.ba.gov.br/evolucaohiphop/?p=1356 



    Escrito por Dona Preta às 14h31
    [] [envie esta mensagem] []



    A lista do Sinjorba fica interessante com esse tema

    Quinta-feira, 8 de Abril, 2010 at 11:44 PM

    Redação www.alaionline.com
     

                   alaionline10@gmail.com
     

     

    (Salvador) – A diretoria do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia excluiu a luta das Comissões de Jornalistas Pela Igualdade Racial (Cojiras) da programação de celebração do Dia do Jornalista, transcorrida em 7 de abril.  Apesar da Cojira-BA estar comemorando dois anos de criada naquela data pela própria diretoria do Sinjorba, e ter sido convidada a apresentar sugestões para a programação, o diretor de comunicação da entidade, Moacy Neves, às vésperas de realização do evento, informou à comissão que não tinha recursos para realizar a atividade proposta. A atividade “Comunicação Pós-Confecom”, sugerida pela Cojira-BA, foi realizada no Hotel Pestana, tendo como participantes o Coordenador de Comunicação Social do Governo do Estado da Bahia, Robinson Almeida e o presidente da Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ), Sérgio Murillo. Pela manhã, o Sinjorba também realizou uma atividade na Associação Comercial da Bahia, em conjunto com a Associação Bahiana de Imprensa (ABI), da qual participaram o prefeito de Salvador João Henrique, o vice-prefeito Edvaldo Brito, vereadores, empresários e profissionais de comunicação.
     
    A articuladora da Cojira-BA com as demais Cojiras de outros Estados (AL, DF, SP, PB, Rio e o Núcleo de Jornalistas Afro-descendentes-RS), a jornalista Ana Alakija, disse que até o último instante tentou negociar a fala do jornalista Dalmo Oliveira, da Paraíba, presente no evento, sobre as conquistas com recorte para os segmentos sociais, especialmente o étnico-racial, obtidas na Conferência Nacional de Comunicação. “Não vou dar munição a opositores da FENAJ”, teria dito a presidenta do Sinjorba, Kardelícia Mourão. “É lamentável a atitude insensível da atual diretoria do Sinjorba para com a luta dos jornalistas articulados com os movimentos sociais, especialmente setores que levantam a bandeira de políticas públicas inclusivas de comunicação”, disse Alakija.
     
    A jornalista enfatizou que as Cojiras tiveram um papel importante na Confecom, ocorrida dezembro último em Brasília, terminando por absorver e defender as mais de 100 propostas de ações afirmativas de comunicação por parte de segmentos minoritários, aprovadas por consenso no grupo Cidadania Direitos e Deveres, em relação à diversidade cultural, religiosa, étnico-racial, gênero, orientação sexual, portadores de deficiências, idosos, etc. “Uma das propostas aprovadas inclusive diz respeito à Educação para a Mídia”, disse ela; “a exclusão dessas bandeiras e conquistas logo na Bahia, celeiro das diversidades, sinaliza que o trabalho deve começar dentro de casa e o quanto muito dos nossos companheiros, especialmente dirigentes sindicais precisam aprender para conviver democraticamente com as diferenças”.  Ela também disse que “como se não bastasse a luta pela visibilidade sem estigma desses segmentos na mídia, os jornalistas pela igualdade racial infelizmente estão tendo que combater as suas próprias invisibilidades dentro da própria categoria”. A Cojira-BA terminou por realizar à tarde uma atividade extra-oficial a do Sinjorba, em conjunto com a ONG Agência Afro-Latina-Euro-Americana de Informação (ALAI), na Casa da Nigéria: o cine-fórum, com exibição e debates de filmes sobre mídia e intolerância, aberto à comunidade.


    --
    Agencia Afro-Latina Euro-Americana de Informação (ALAI)
    Rua das Portas do Carmo, 26 Centro Historico
    Salvador. Bahia. Brasil.
    CEP 41.026-290.
    Telefones:
    00 xx 55 71 99444325
    00 xx 55 71 9131-6985
    Site:http://www.alaionline.com
    Site:
    http://alpha2.info/
    E-mail: alaionline10@gmail.com
    E-mail:  alaionline@alaionline.org



    Escrito por Dona Preta às 10h38
    [] [envie esta mensagem] []



    O sete continua sendo meu número da sorte

    Celebrar o 7 de abril é retomar a tradição de luta dos jornalistas

    O 7 de abril é antes de tudo uma data que marca a tradição de luta dos jornalistas brasileiros e da história do país, pois foi justamente neste dia, em 1831, que Dom Pedro Iº abdicou do seu trono em favor do filho devido a manifestações populares que se intensificaram a partir de uma passeata na qual foi assassinado o jornalista João Batista Líbero Badaró.

     

    --
    Oposição Sindical dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais

    www.oposicaosindical.blogspot.com

    http://twitter.com/jornalistasmg



    Escrito por Dona Preta às 09h33
    [] [envie esta mensagem] []



    Fórum Nacional de Juventude Negra lança edital de concurso de pequenos projetos

    Inscrições até 11 de abril de 2010

     

    Fórum Nacional de Juventude Negra lançou no dia 21 de março, Dia Internacional pela Eliminação da Discriminação Racial, o Fundo de Apoio para Pequenos Projetos às Organizações Juvenis Negras “Manuel Faustino dos Santos Lira”. A iniciativa é parte de um conjunto de ações que compõe a Campanha Nacional contra o Extermínio da Juventude Negra e visa capilarizar suas ações através de apoio financeiro às organizações juvenis negras para que possam realizar atividades relacionadas aos temas da Campanha.

     

    O Fundo objetiva apoiar pontualmente o desenvolvimento de atividades de organizações e grupos de juventude negra do Brasil, que tenham como diretriz o combate à violência contra a juventude negra, visando potencializar o debate sobre o tema e ampliar os espaços de disseminação das perspectivas da juventude negra frente a essa realidade. O nome do Fundo é uma homenagem ao jovem negro soteropolitano Manuel Faustino dos Santos Lira, um dos heróis da Revolta dos Búzios no século XVIII, que foi executado aos 18 anos de idade, em 08 de novembro de 1799, condenado à morte por enforcamento, por integrar o grupo dos líderes da Revolução.

     

    A Campanha Nacional contra o Extermínio da Juventude Negra se destina a propiciar um diálogo junto à sociedade sobre os efeitos históricos do racismo na qualidade de vida da juventude negra brasileira e a negação dos direitos humanos essenciais a essa juventude, culminando muitas vezes na morte programada de milhares de jovens negros e negras por todas as regiões do país, enfatizando nesse cenário as discussões sobre violência de gênero, intolerância religiosa e demais formas de discriminações correlatas. A Campanha é uma realização do Fórum Nacional de Juventude Negra, em parceria com o Instituto Cultural Steve Biko e a ONG Enda Brasil, com apoio da Fundação Kellog.

    Dúvidas: contato@fonajune.com.br

    Mais informações: www.fonajune.com.br

     



    Escrito por Dona Preta às 13h47
    [] [envie esta mensagem] []



    Irei fazer um resumo deste momento mágico...

     

     

     

     

     

     

     

     



    Escrito por Dona Preta às 13h41
    [] [envie esta mensagem] []



    Tudo de bommmm para mim...

     

     Dia 24 de Março data que os Deuses escolheram para minha vinda à terra. Dizem que quem nasce nesta data tem  Sorte e Sorte começa com 'S' de Suzana...  

    "Quando uma pessoa amadurece terá aceito a vida como ela é e, com isso encontra a segurança, estando forte o bastante para encarar o futuro sem hesitações escolhendo a direção certa".

    Resposta do Sábio retirado do jogo das Runas que fiz agorinha horas antes de completar meus 26 aninhos. E depois dizem que o sobrenatural não existi...  

    Vamos bebemorar!!!!



    Escrito por Dona Preta às 22h55
    [] [envie esta mensagem] []



    Sou afirmada e autenticada

    Jornalistas pela Igualdade Racial repudiam jornal O Globo por boicote a campanha Afirme-se!

    Comissão Nacional de Jornalistas pela Igualdade Racial  manifesta publicamente seu repúdio à censura econômica imposta pelo jornal O Globo diante da solicitação de anúncio pago da campanha Afirme-se! Pela Manutenção no STF das Políticas de Ação Afirmativa. A campanha, iniciada e mantida pela sociedade civil, levantou fundos para publicizar seu mote e veiculou o anúncio em jornais de grande circulação como o Folha de S. Paulo, Estado de S. Paulo e A Tarde, no último dia 3 de março, além da divulgação em televisão, rádio e internet.

    O custo total dos anúncios nos três jornais totalizou R$ 111.815,71. De início, a direção comercial do jornal O Globo encaminhou a coordenação da campanha um valor negociado para publicação do anúncio a um custo de R$ 54.163,20. No entanto, após ter conhecimento do conteúdo do anúncio de página inteira, inflacionou o valor para R$ 712.608,00, o que significou um reajuste em torno de 1.300% do valor inicial.

    A explicação dada pela direção comercial do jornal O Globo ao coordenador da campanha, o jornalista Fernando Conceição, foi que o aumento era justificado porque o conteúdo é classificado como expressão de opinião, dessa forma, sendo conteúdo editorial e não publicitário.

    O Globo é um jornal que possui 85 anos de história e ao tomar um posicionamento com viés censor como esse, de não veicular um manifesto civil em suas páginas usando para isso um valor superinflacionado para um anúncio,  vai contra os princípios do Estado Democrático de Direito e a liberdade de expressão. O tema do anúncio, assim como o da campanha, é de imensa importância para sociedade brasileira, além de ser um assunto da atual pauta política do país.

    A Comissão Nacional de Jornalistas pela Igualdade Racial entende que qualquer manifesto, seja ele publicitário ou editorial, tem um conteúdo de opinião. Dessa forma, expressa veementemente seu apoio a campanha Afirme-se! e manifesta profunda decepção com a postura adotada pelo jornal O Globo.
     
    Afirmativamente,
     
    Comissão Nacional de Jornalistas pela Igualdade Racial
    Comissão de Jornalistas pela Igualdade Racial - AL, BA, DF, SP, PB e RJ
    Núcleo de Jornalistas Afrodescendentes do Rio Grande do Sul
    Federação Nacional dos Jornalistas



    Escrito por Dona Preta às 21h59
    [] [envie esta mensagem] []



    Vamos dissertar sobre o prazer feminino

    Salientando o assunto

     

    Ainda na linha do sexo e pegando carona na semana em que se comemorou o dia Internacional da Mulher coloquei estes textos aqui em baixo que fala sobre a libertação da criatividade sexual da mulher. Como ando me sentindo muito amada, idolatrada e salve, salve...Ou no popular toda boa!!Me sinto inspirada a fazer com meu bofe (onde completamos dois meses hoje de união prazerosa) muitas coisinhas que está apimentando nossa relação e me fazendo uma tarada *Rs.

     

    Ando comprando fantasias eróticas, brinquedinhos, gel, praticando o ato em lugares tipo inusitados de várias formas, muitas vezes na semana e no dia também...Como ando querendo perder uns quilinhos junto a fome com a vontade de comer!! O bofe fica todo besta, rindo a toa e em sinônimo de satisfação realiza todos os meus desejos, me mima que só vendo parece até que sou de porcelana. A.D.O.R.O....

     

    Isso tem muito a vê com a felicidade que inunda minha vida dos acontecimentos que se fazem presentes das surpresas e das promessas que estão por vim...Ainda é segredo depois conto procês. Minha vida está  andando, correndo e acelerando, ou seja total transformação. E sem falar da companhia de Monique que sempre me dava dicas dessas ousadias quero até uns acessórios emprestados. Embora minha amiga anda muito devagar parece até que desaprendeu! O blog dela era uma sala de aula agora está lá total frigidez. Eu hein!! Ela também publicou meu texto “Mulheres sem Vergonha” no Kamikase Doce vou até colocar um texto dela aqui para vê se ela se lembra como se faz....os textos de orientação sexual...ooooxeeee.*Rs 

     



    Escrito por Dona Preta às 14h58
    [] [envie esta mensagem] []



    Minha amiga me dava aula no seu blog

    Ensine a você mesmo!


    Quer aumentar a capacidade cerebral? Faça sexo, coma chocolate amargo, e tome um café da manhã recheado de frios, ovos ou peixes. Essa é a tese defendida no livro "Ensine a você mesmo: treine seu cérebro", de Terry Horne e Simon Wootin. Quer fazer um teste? Então, mãos a obra!

     

    Nesta obra, os autores analisam a questão de que o ambiente, o estresse e a dieta afetam a capacidade mental dos indivíduos. E o mais importante, dão grandes sugestões a respeito da substância quimíca liberada pelo organismo em certas atividades, como fazer sexo.

     

    Os repectivos autores, também afirmam que a penetração, durante o ato sexual, aumentam os níveis de oxitocina, estimulando assim o cérebro a pensar novas idéias e soluções para problemas. Enquanto, o pós-coito ajuda na quantidade de serotonina, estimulando a criatividade e o pensamento lógico.

     

    Segundo Terry Horne e Simon Wootin, a capacidade do cérebro é considerada um estilo de vida, já que durante décadas, muitos pensadores defendiam a idéia de que a capacidade do cérebro era geneticamente determinada. Assim, os mesmos criam um "conceito de vida", chamado BLISS (prazer corporal, satisfação sexual, envolvimento e alegria).

     

    Segue algumas recomendações dos autores:

    - Evite fumar maconha;

    - Assitir novelas;

    - Conviver com quem reclama muito da vida;

    - Misture-se com pessoas que te façam rir;

    - Não ingerir muitas carnes vermelhas;

    - Baixar a dose de álcool do organismo.

     

     Retirado no:

    http://kamikasedoce.blogspot.com/2007_12_01_archive.html   


    Fonte: BBC BRASIL .COM


    Escrito por Dona Preta às 14h30
    [] [envie esta mensagem] []



    MULHERES SEM VERGONHA


    As mulheres estão deixando o preconceito de lado e procurando artigos que podem ajudá-las a encontrar mais facilmente o prazer sexual. Elas já são maioria absoluta no mercado brasileiro de produtos eróticos e estão quebrando o estigma da mulher submissa entre quatro paredes.

     

    A secretaria Alice Ramos de 26 anos, adepta a idas ao sexy shop para comprar acessórios que segundo ela ajuda a incrementar a relação “procuro sempre novas maneiras para o meu casamento não cair na rotina me sinto super a vontade em comprar óleos, calcinhas comestíveis, brinquedos sexuais e fico feliz em poder realizar minhas fantasias meu marido adora as loucuras que faço e isso até nos deixou mais cúmplices na cama”.

     

    Alice conta que desde que começaram a buscar novidades no sexo em lojas especializadas, a intimidade entre eles aumentou, e atualmente o casal sente muito mais liberdade para discutir as relações sexuais.

    A estudante Inara Silva, 20, é igualmente aberta faz shows de striptease e prepara surpresas para o namorado “acho que as mulheres não devem ter vergonha de nada o prazer não pode ser restrito somente aos homens.

     

    As mulheres também tem o direito de sentir, buscar e demonstrar que sentem prazer. Não tenho frescura, topo coisas ousadas, ir a motéis ou lugares diferentes, experimento o que aparece e agradeço por meu namoro ser desta forma”, ri a universitária.

     

    As mulheres não esperam mais, passivamente, o prazer - vão buscá-lo “na primeira vez tive vergonha de pedir ajuda a vendedora e me surpreendi em ver tão natural atendimento”, conta Alice. As boutiques eróticas são lojas discretas, onde você pode encontrar desde lingeries sensuais até os mais modernos vibradores. “O diferencial é que a cliente se sente mais segura, porque todas as vendedoras conhecem os produtos e explicam para que servem e como devem ser utilizados”, diz Carmen Rebouças dona de uma loja de sexy shop.

     

     

     

    ‘‘Normalmente as mulheres têm a mente mais aberta e estão sempre procurando manter a relação’’, afirma Carmen. Em sua loja, as fitas de vídeo e livros sobre masturbação e strip-tease são os tops de venda, segundo ela os dados com fotos indicando as posições do kama sutra e os pequenos vibradores também são muito procurados, além das fantasias de coelhinha, enfermeira e estudante. “As mulheres estão perdendo o preconceito e indo atrás do seu prazer são estas as características que marcam o comportamento da mulher moderna, outro ponto também importante é manter um dialogo constante com o parceiro, porque isso permiti que ele conheça suas idéias, sentimentos e fantasias, é importante para que ele possa aprender e por em prática tudo o que uma mulher considera importante para uma noite inesquecível”, conclui Carmen.

     

     

     

    Texto de Dona Preta, mulher, negra, jornalista iniciante, mas muito promissora! Era pra ser um comentário que ela postou, mas eu gostei e transformei em um post.

    www.identidadenegra.zip.net

     

     

    1 Comentários

     

     

    Publicado no blog Faniqueito da jornalista Suely Temporal em janeiro de 2008. E se Suely falou então tá falado e aprovado!

     

    Se link:
     


    Escrito por Dona Preta às 13h42
    [] [envie esta mensagem] []



    Somos perfeitas nas nossas imperfeições...



    Escrito por Dona Preta às 16h38
    [] [envie esta mensagem] []



    Se o Poder é bom nós também queremos....



    Escrito por Dona Preta às 15h53
    [] [envie esta mensagem] []



    Nossa Campanha

    Esta é uma campanha pela manuntenção das cotas e demais ações afirmativas tão caras a população afro descendente deste país.
    Não podemos ficar de fora disso.
    Esse chamamento é para aqueles que acreditam na justiça social, na dignidade humana, no direito de igualdades, no bem comum e no empoderamento étnico social!
    Vamos lá! Vale participe do jeito que você puder, só não vale não participar! 

    Mais informações sobre a campanha no link:http://afirmese.blogspot.com/   
    Peguei este post do Diário da Fafi Ctrl c +Ctrl v: http://www.diariodafafi.blogspot.com/ 


    Escrito por Dona Preta às 19h44
    [] [envie esta mensagem] []




    [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]